Segurança no ciclismo de estrada: O que mudou depois da morte de Antoine Demoitié

Acidentes envolvendo carros e bicicletas durante uma competição não são novidade infelizmente. No entanto, há uma enxurrada desses acidentes se formos analisar os últimos anos, um deles (o pior) causou a morte de Antoine Demoitié na Bélgica em 2016.

focus-bikes-onde-comprar-mtb-full

O que está errado?

Antes desse terrível acidente, a questão carros x bikes já era muito discutido. Outros ciclistas como Peter Sagan, Greg Van Avermaet e Jesse Sergent (que se aposentou por conta das lesões sofridas). As motos também são problema, Broeckx foi atingido por uma em Bruxelas.

Hoje, apesar de haver mais veículos nos percursos, há um regulamento de segurança que deve ser respeitado pelos profissionais que estarão nos carros e motocicletas. Antes de cada prova, eles são orientados sobre como proceder durante todo o trajeto.

A experiência nesses casos nem conta. O motorista que se envolveu no acidente com Demoitié tinha 20 anos de experiência, já o motorista que bateu em Sergent também tinha seus anos de experiência nas pistas. Outro ponto observado é o nível da competição, pois para acompanhar o alto desempenho dos atletas, os carros tendem a acelerar mais.

Outro ponto a ser observado é que os veículos são essenciais em uma competição de alto nível, assim como os espectadores, mídias… assim, acaba sobrando “pouco espaço” nas pistas.

ciclismo-de-estrada-e-acidentes-envolvendo-motos-de-apoio

O que mudou?

A UCI fez algumas alterações na regulamentação de segurança após a morte de Demoitié, que chegava a cobrar multas de 30 mil reais caso alguma regra fosse quebrada.

“Cada mudança requer um processo de votação para ser aprovada; queríamos ver mudanças reais mas ainda estamos discutindo as regras, isso me deixa triste mas ao mesmo tempo entendo que isso diz respeito a organizações complexas, envolvem muitas pessoas”, declarou o presidente da CPA Gianni Bugno.

Ao mesmo tempo, algumas organizações menores resolveram agir, na Bélgica por exemplo, foi decidido que haveria menos atletas competindo e motoristas com 16 anos são proibidos de participar do apoio. Outra mudança é a escolha dos percursos e sinalização deles.