Campeão mundial de MTB XCM, Tiago Ferreira busca o bicampeonato da Brasil Ride

Os amantes do ciclismo podem ter uma certeza em relação à sétima edição da principal ultramaratona de MTB das Américas – Brasil Ride, entre 15 e 22 de outubro, em Arraial d’Ajuda e Guaratinga. A disputa na Costa do Descobrimento (Bahia) será de altíssimo nível ao reunir os melhores atletas de mountain bike do mundo.

Entre os confirmados para tentar acabar com o reinado do holandês Hans Becking e do tcheco Jiri Novak, bicampeões em 2014 e 2015, está a dupla formada pelo português Tiago Ferreira e o belga Roel Paulissen. Em comum a ambos, o fato de já terem conquistado o título do Campeonato Mundial de Maratona (XCM) em suas carreiras.

Enquanto Tiago Ferreira é o atual campeão do mundo, após vencer no fim de junho, em Laissac (FRA), e traz consigo um título da Brasil Ride, seu companheiro Roel Paulissen foi bicampeão mundial em 2008 e 2009, após obter a prata em 2007 e o bronze em 2006. “Tive o privilégio de ser o campeão da Brasil Ride com meu compatriota Luis Leão, em 2012. E, até hoje, é uma das vitórias que mais gosto de recordar. Este ano vou estar presente para tentar meu bicampeonato”, define Tiago Ferreira. “De todas as competições por etapas que fiz, a Brasil Ride é a mais dura, mas ao mesmo tempo, a mais espetacular e acolhedora deste formato. Para mim é a prova número 1 entre as ultramaratonas”, complementa Ferreira.
shimano-fest-2016-criterium-ciclismo-de-estrada
Mesmo sabendo da responsabilidade de competir como atual dono da camisa de campeão mundial, Tiago Ferreira não sente-se pressionado. “Realmente, consegui neste ano conquistar o objetivo máximo na carreira de um atleta, que é ser campeão mundial. Na Brasil Ride, lá na Bahia, será uma competição diferente. Serão sete dias, ou seja, tudo muda. É normal que eu esteja um pouco mais marcado, porém esta é uma situação na qual já estou habituado”, comenta.

Tiago Ferreira avalia ainda a mudança de local da ultramaratona, que sai da Chapada Diamantina após seis anos em Mucugê e Rio de Contas, para a Costa do Descobrimento, em Arraial d’Ajuda e Guaratinga. “O que sei da Costa do Descobrimento é apenas aquilo que pude ver pelas fotos. Me parece um verdadeiro paraíso. Acho que a Brasil Ride se tornará mais rápida este ano e, por consequência disso, mais tática também. Mas, como sempre, tem tudo para ser uma super corrida”, analisa.

O atual campeão mundial encerra falando sobre sua expectativa para competir a ultramaratona ao lado de seu parceiro, o belga Roel Paulissen. “Além de bicampeão do mundo, ele já ganhou várias taças do Mundo de Cross Country e também venceu a Cape Epic, na África do Sul. O Roel já esteve em uma edição da Brasil Ride, em 2013, quando foi quinto colocado. É um atleta com muita experiência e que está em boa forma. Tenho a certeza que nossa equipe vai fazer um ótimo papel”, finaliza.

Mudança de região – Após ser realizada entre os anos de 2010 até 2015 na Chapada Diamantina, com base nas cidades de Mucugê e Rio de Contas, a competição seguirá na Bahia, porém mudando para a Costa do Descobrimento, no Sul do estado. A cidade de Porto Seguro, mais precisamente em Arraial d’Ajuda, abrigará uma das vilas da Brasil Ride, enquanto a outra vila ficará em uma fazenda no município de Guaratinga e será o segundo local de acampamento para os 500 participantes.

Inscrições para a Brasil Ride 2016 – As duplas que não se imaginam fora dessa festa das duas rodas não devem perder tempo e garantir logo a participação na sétima edição da principal ultramaratona de MTB das Américas. Todos os detalhes estão disponíveis no site oficial da Brasil Ride: www.brasilride.com.br, clicando em “Prova” e em seguida no link “Pacote de inscrição”. Como nas edições anteriores, serão disponibilizadas 500 vagas para 250 duplas de diversos locais do País e do mundo.

Sobre a Brasil Ride – Competição nascida na Bahia, a Brasil Ride reuniu em sua última edição 500 atletas de 23 países e 18 estados brasileiros e o Distrito Federal entre os dias 17 e 24 de outubro, na Chapada Diamantina. No sábado (24) foi disputada a Maratona Brasil Ride, prova de um único dia, por outros 600 bikers. Classe S1, a competição distribuiu aos campeões da open e ladies 120 pontos nos rankings das UCI (União Ciclística Internacional). Além da premiação em produtos por etapas, a sexta edição teve recorde em premiação em dinheiro da modalidade no País, com cerca de R$ 70 mil em prêmios gerais e por etapas.