Vencedor da Vuelta a Costa Rica e 11 ciclistas caíram no doping na edição de 2017

Vencedor da Vuelta a Costa Rica e 11 ciclistas caíram no doping na edição de 2017

A UCI anunciou na quarta-feira que 12a foram notificados de um Descoberta Analítica Adversa, do inglês Adverse Analytical Finding (AAF), para amostras coletadas em 22 de dezembro de 2017 durante a Vuelta Ciclista Internacional a Costa Rica.

“De acordo com as Regras Anti-Doping da UCI, os pilotos foram suspensos provisoriamente até a adjudicação do assunto”, na declaração da UCI.

A lista de ciclistas inclui o vencedor geral da corrida, Juan Carlos Rojas Villalegas, o terceiro lugar Cesar Andres Rojas Villalegas, Jewinson Leandro Varela Zuniga, o vencedor do estágio 4 Vladimir Fernández Torres, José Alexis Rodríguez Villalobos, Jason Huertas Araya, José Irias, Gabriel Eduardo Marin Sanchez , líder após o estágio 2, Melvin Mora Garita, Kevin Murillo Solano e Jordy Sandoval.

Todos foram notificados com EPO-CERA, exceto Jeancarlo Padilla, que foi notificado somente com EPO. Tanto a CERA como a EPO são classificadas como “Hormônios de Peptídeos, Fatores de Crescimento, Substâncias e Mimeticos Relacionados”, conforme a Lista de Proibições Antidopagem Mundial.

Cada ciclista tem a oportunidade de solicitar e participar da análise da amostra B.

De acordo com uma declaração da UCI, o controle de doping foram planejados e realizados pela Fundação Antidopagem Ciclista, do inglês Cycling Anti-Doping Foundation (CADF), o órgão independente encarregado de definir e implementar a estratégia antidopagem no ciclismo.

O CADF contou com a assistência da Federacion Costarricense de Ciclismo, da Comissão Nacional Antidopagem de Costa Rica e do Instituto Costarricense do Desporto e da Recreação.

Os positivos em massa ocorrem dois meses depois de oito ciclistas testarem positivo para substâncias proibidas na Vuelta a Colômbia em controles similares.

Crédito foto: Fecoci

COMPARTILHE

Comente