Documentário “Icarus” sobre doping no ciclismo está entre os melhores

Documentário “Icarus” sobre doping no ciclismo está entre os melhores

Icarus, o documentário da Netflix que começou como um filme sobre doping na Route Haute e acabou por expor o doping russo patrocinado pelo estado, foi nomeado para um Oscar.

O filme de Bryan Fogel e Dan Cogan foi indicado ao Prêmio da Academia para Melhor Documentário, com o vencedor anunciado na cerimônia de premiação em Los Angeles em 4 de março.

Lançado na Netflix, o filme começou como uma tentativa de Bryan Fogel de ver o que aconteceria se ele fizesse o aprimoramento do desempenho para participar da Haute Route sportive, com o objetivo de obter um alto resultado geral e ver se ele poderia evitar ser apanhado nos controles antidoping.

No entanto, as coisas rapidamente se desviam, já que a Fogel recruta a ajuda Grigory Rodchenkov, chefe do programa antidopagem russo, com a intenção de receber assistência com o doping e evitar testes antidoping, antes de aprender sobre o estado russo patrocinando doping nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi em 2014.

Fogel, em seguida, ajuda Rodchenkov a prestar testemunho para ajudar a expor o escândalo ao mundo, dando uma entrevista ao New York Times antes que Rodchenkov seja forçado a se esconder devido a ameaças de morte.

O filme obteve uma aclamação crítica generalizada, descrita pelo crítico Roger Ebert como “notável, enquanto assistimos a vida e a segurança de um homem sendo ameaçada”, que agora foi recompensado com a indicação ao Oscar.

Fogel e Cogan enfrentarão uma forte competição na categoria Melhor Documentário da categoria Faces Places, um documentário francês que segue as filiais Agnès Varda e JR que viajam pela França criando retratos das pessoas e comunidades que conhecem e Last Men in Aleppo, que centra-se nos Capacetes Brancos, uma organização voluntária de busca e salvamento que trabalhou para salvar vidas durante o cerco de Aleppo na Síria.

Crédito foto: Netflix

COMPARTILHE

Comente