Dança das cadeiras das equipes de ciclismo de estrada: Quem pretende ficar ou sair?

Dança das cadeiras das equipes de ciclismo de estrada: Quem pretende ficar ou sair?

Oficialmente, nenhum ciclista ou equipe podem assinar contratos novos até o primeiro dia de agosto. Mas, nos bastidores há alguns rumores rolando.

focus linha carbon road

O Team Sky diz que Geraint Thomas já está com contrato vigente para 2018, mas nada é certo, já que outras equipes estão de olho nele. Thomas, pode preferir uma equipe onde tenha a liderança garantida.

Mikel Landa aparentemente deixará o Team Sky. Há quem aposte que ele volte para a Astana, outros já querem o ver na Movistar, Emirados Árabes ou até mesmo a Bahrain-Merida.

Ilnur Zakarin, que ficou em 5º lugar no Giro d’Italia, parece que se manterá na Katusha. Pelo menos é o que estão dizendo. Porém, nem tudo é um mar de rosas na equipe.

Parece que a Katusha está entrando em conflito com Alexander Kristoff por causa de ajustes no salário do atleta. Kristoff recebe cerca de 2 milhões de euros por ano, mas a equipe está achando demais já que ele não tem grandes vitórias desde 2015.

A Astana, Emirates e Bahrain-Merida terão que reforçar seus times para 2018. Opções não vão faltar pelo jeito: Kristoff, Landa, Marcel Kittel (Quick-Step Floors) e Tejay van Garderen (BMC Racing) estão procurando novas equipes ao que tudo indica.

O destino do americano Tejay van Garderen na BMC é incerto também.

A Bahrain-Merida sempre planejou reforçar o time desde o início. Atualmente, a equipe conta com Vincenzo Nibali, Sonny Colbrelli (que acabou de renovar seu contrato) e Ion Izagirre. Há rumores que o italiano Davide Formolo está considerando vir para a Bahrain-Merida.

Com o orçamento limitado, a Cannondale-Drapac pode perder outros atletas além de Formolo. Esta incerteza está afetando também Rigoberto Urán.

Outras equipes não deram qualquer informação a respeito dos seus times. Agora é aguardar o andamento dessas contratações.

COMPARTILHE

Comente