David Brailsford dá nova declaração sobre o Fluimucil

David Brailsford dá nova declaração sobre o Fluimucil

Muitos duvidam que David Brailsford vá resistir no cargo com todo esse problema envolvendo doping no Team Sky. Entretanto, o presidente da equipe Graham McWilliam, demonstrou apoio a Brailsford em seu Twitter: “Só para registro, o conselho executivo da equipe e a própria Sky estão com o Sr. Dave Brailsford; desejamos muito mais anos de sucesso”.

Para quem não está ligado, um pacote contendo Fluimucil (substância proibida para uso em competições) foi entregue ao Team Sky no Criterium du Dauphine, em 2011, por ordem do Dr. Richard Freeman.

Sobre esse fato, Brailsford disse: “A meu entender, a investigação da UKAD não encontrou provas suficientes que apoiam essa acusação de doping; não dá pra negar que o Team Sky cometeu erros, os membros da equipe não obedeceram as políticas da época então somos responsáveis por isso”.

Levando o Fluimucil

Brailsford testemunhou em dezembro sobre o caso, dizendo que a medicação é legal segundo o código da WADA. Mas a questão é: por que um medicamento comum vendido na França precisaria vir de Manchester num avião?

O Team Sky explicou que o Fluimucil é usado frequentemente para desobstruir as vias respiratórias, quando há excesso de muco. Essa medicação, segundo a equipe, não estava disponível na forma inalatória na França e, além disso, o Dr. Freeman não tinha direitos para prescrever fora do seu país e por isso veio de Manchester.

Para piorar, o Team Sky não tem documentos que comprovem que o conteúdo do pacote era mesmo o Fluimucil, já que o médico teve seu laptop, e todos os arquivos contidos nele, roubado em uma viagem.

Falhas no processo e irregularidades

Brailsford relata que a falta de documentação, para sustentar suas afirmações de que Wiggins estava mesmo recebendo o Fluimucil, foi falha de procedimentos.

“Continuo afirmando que não houve maldade do Team Sky ou de seus funcionários”, ele escreveu. “Nosso compromisso na luta contra o doping vem de anos, nossa missão é competir e vencer limpo”.

Ainda no documento, ele declara que os registros médicos são levados muito a sério, mas que ainda há falhas que pretendem melhorar daqui pra frente.

O Team Sky apoia a política de tolerância zero depois que Lance Armstrong foi banido das competições profissionais pela USADA e perdeu inclusive seu Passaporte Biológico. A equipe também instituiu uma política de denúncias de doping em 2014, que permite denúncias anônimas e proteção a quem denuncia.

Brailsford pretende nomear um médico responsável para reportar diretamente o Conselho do Team Sky e instituirá um novo sistema de gestão de medicina.

COMPARTILHE

Comente