Federação da indústria de artigos esportivos se diz a favor do uso de freios a discos em bikes de estrada

Federação da indústria de artigos esportivos se diz a favor do uso de freios a discos em bikes de estrada

A WFSGI (Federação Mundial da Indústria de Artigos Esportivos) entrou na discussão após o acidente de Owain Doull, onde ele afirmou que o freio a disco da bicicleta de Marcel Kittel cortou sua sapatilha e lhe causou ferimentos no Tour de Abu Dhabi.

A federação contestou essa teoria e saiu em defesa dos fabricantes. “Após as primeiras averiguações do acidente e das imagens, podemos dizer que um freio a disco não causou tais danos”, dizia o comunicado.

Eles também disseram que contrataram um perito forense para estudar as lesões sofridas por Fran Ventoso no Paris-Roubaix do ano passado. O que foi concluído (e juntado ao relatório final do acidente) é que freios a discos não podem ser considerados totalmente culpados pelas lesões já que há outras partes afiadas na bicicleta.

O CPA emitiu na segunda-feira um pedido à UCI para suspender o uso dos freios até que outras medidas de segurança sejam tomadas. Até agora a UCI não se pronunciou a respeito e nem aparenta ter planos para suspender o uso do equipamento. Em comunicado anterior, a UCI apontou que a CPA participou da aprovação desses freios no ano passado e que foi uma votação democrática.

Segundo a CPA, não é uma questão de ser contra o uso dos freios a disco e sim ter mais proteção aos ciclistas.

Após o acidente, Marcel Kittel não usou mais a bicicleta Specialized S-Works Venge ViAS equipada com freio a disco, como um sinal de respeito aos colegas e suas preocupações. Porém, seu companheiro de equipe Tom Boonen usou o freio a disco no Omloop Het Nieuwsblad no sábado.

Ainda há muito o que discutir e muitos capítulos para acompanhar. Vamos aguardar as novas decisões.

COMPARTILHE

Comente