Para Alberto Contador pedalar com estilo é melhor que vencer

Para Alberto Contador pedalar com estilo é melhor que vencer

Alberto Contador tem 34 anos e uma maneira única­ de pedalar com constante necessidade de atacar, de ousar. Ele disse que isso importa mais do que o resultado final da prova, em entrevista no Tour de Abu Dhabi.

Voltando um pouco no tempo, podemos destacar três datas memoráveis que ele realmente colocou em prática essa teoria. Em 2011 em uma etapa do Alpe d’Huez com um ataque nos últimos 20 km, em 2012 que venceu a Vuelta da España com muita técnica e a famosa etapa de Formigal em 2016 na Vuelta onde Contador eliminou as esperanças de Chris Froome de vencer a prova.

Na verdade, nesses três dias, apenas em um deles eu tive a vitória como recompensa, nos outros dois eu tive o reconhecimento; Eu particularmente prefiro ser reconhecido no esporte do que vitorioso numa prova, isso vai muito além de possuir um troféu na estante”, disse o ciclista espanhol.

Sobre o Tour de France, Contador se mostra realista: “o Team Sky tem 28 ou 29 atletas que poderiam muito bem formar duas equipes, então sempre estarão no topo”. Aparentemente será bem difícil bater Chris Froome e sua trupe.

Contador se mostrou bem descontraído durante toda a semana em Abu Dhabi. Sua felicidade na nova equipe, Trek-Segafredo, parece bem genuína assim como sua satisfação com seu companheiro Mollema. “Estamos só em fevereiro e parece que pedalamos juntos há anos; temos um ótimo relacionamento no ciclismo; estou em um ambiente novo, completamente diferente e com objetivos claros para a temporada”.

O atleta só trouxe com ele da Tinkoff o ciclista Jesus Hernandez, o mecânico Steven de Jongh e o assessor de imprensa Ivan Basso. “Temos uma equipe com orçamento limitado, claro que gostaria de ter 10 ciclistas se matando para me ajudar a escalar as montanhas, mas não é assim; mesmo sabendo disso, sei que temos condições de vencer o Tour”.

Alberto Contador assinou contrato com a Trek por um ano, mas com opção de prorrogar para mais um ano. Ele havia cogitado a aposentadoria em 2016, mas parece que agora não tem mais intenção disso: “não quero colocar um prazo para mudar depois, quando chegar a hora eu vou dizer”, ele disse.

Sobre a possibilidade de ser o último ano competindo no Tour de France, ele não deu uma resposta definitiva: “há muitas outras provas além do Tour, pode até ser a mais importante, mas isso não quer dizer que é a que eu mais vou aproveitar”.

O que sabemos com certeza, é que Contador continuará fazendo o que sabe de melhor: atacar, arriscar e ousar. É disso que sempre lembraremos.

COMPARTILHE

Comente