Novas regras da UCI em provas WorldTour

Novas regras da UCI em provas WorldTour

Hoje, a UCI publicou mudanças radicais nas regulamentações de WorldTour. Dentre elas estão a permanência de 10 equipes nas provas, apesar das participações serem totalmente voluntárias.

ravenmaxpro_720x120_ridebike

A decisão de manter 10 equipes não é problema para eventos longos como Omloop Het Nieuwsblad e Dwars door Vlaanderen, mas será um fardo para eventos bem distantes como o Tour da Turquia por exemplo, que atraiu apenas duas equipes WorldTour no ano passado. Se uma prova não atrai essas 10 equipes, pode correr o risco de ficar fora do calendário.

Confira as principais alterações no regulamento:

  • As licenças duram até o final de 2018;
  • Em 2019, a equipe que tiver pontuação mais baixa sai fora, a não ser que tenha menos de 16 candidatos;
  • Adição de padronização para revisão de licenças, inclusive dos médicos da equipe;
  • O ranking da equipe para a próxima temporada do WorldTour considera apenas provas ‘históricas’;
  • As classificações de equipes incluirão pontos do Pro Continental de provas históricas de WT;
  • O PCC vai decidir como as equipes serão escolhidas a partir de 2019;
  • As novas provas do WorldTour devem ter pelo menos 10 equipes por ano, ou correm o risco de serem retiradas do calendário;
  • As equipes do WorldTour devem ser convidadas para todas as provas, mas não são obrigadas a participar de eventos novos.

Sobre os registros das equipes

As licenças WorldTour concedidas no final de 2016 terão validade de dois anos, mas as que serão dadas no final de 2017 valerão apenas um ano.

As regras também serão mais duras para os profissionais da equipe, uma comissão promete avaliar diplomas, certificações e tudo que diz respeito aos profissionais como médicos e técnicos.

COMPARTILHE

Comente