A Cycling Time Trial gastou 22mil libras em testes antidoping em 2016

A Cycling Time Trial gastou 22mil libras em testes antidoping em 2016

Este ano, a Cycling Time Trials (CTT) testou um número recorde de ciclistas no exame anti-doping. A organização aumentou o número de testes em ciclistas depois que três competidores foram banidos pelo UKAD por estarem usando substâncias proibidas.

No ano passado foram 44 ciclistas testados e em 2016 até agora foram 72, no entanto o relatório foi finalizado antes do Campeonato Nacional Hill-Climb e esse número com certeza já aumentou.

“Os ciclistas – em sua maioria, estão satisfeitos em ver o controle mais firme anti-doping”, disse Nick Sharpe, secretário nacional da organização. “Em 2017 ainda não decidimos se os testes aumentarão mais ainda, é uma coisa que precisamos ver no começo do ano”, ele concluiu.

Mais de 22.000 libras foram gastos em testes anti-doping de abril de 2015 a abril de 2016, hoje esse número já deve estar perto dos 40.000 libras.
Robin Townsend foi pego em janeiro, Andrew Hastings também foi pego e admitiu o uso de anabolizantes ao SAS, apesar de anteriormente ter negado. Gabriel Evans não foi pego no teste mas admitiu fazer uso de EPO e ficou banido por três anos e meio das competições.

COMPARTILHE

Comente