Hans Becking e Jiri Novak em busca do tricampeonato da Brasil Ride

Hans Becking e Jiri Novak em busca do tricampeonato da Brasil Ride

Após conquistarem a fama nas trilhas da Chapada Diamantina com o bicampeonato da Brasil Ride em 2014 e 2015, o holandês Hans Becking e o tcheco Jiri Novak voltam à Bahia para continuarem suas histórias de sucesso na Brasil Ride 2016, desta vez realizada na Costa do Descobrimento, no Sul do estado. A principal ultramaratona de MTB das Américas, entre 15 e 22 de outubro, com sedes no distrito de Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, e na cidade de Guaratinga, cerca de 100 km da cidade litorânea, reúne cerca de 1.500 ciclistas, incluindo os participantes da Maratona do sábado (22), e tem a dupla da Superior-Brentjens MTB Racing como principal favorita ao título.

Mesmo com a mudança do local, ambos sabem que não terão vida fácil nos sete dias, com 538,8 km e altimetria acumulada de 10.773 metros. “Só sei de uma única coisa, que de fato a Brasil Ride será muito mais do que apenas uma corrida de etapas, como sempre é em nossas vidas”, destaca Jiri Novak. “Estudei um pouco as rotas. Não sei como será o terreno local, mas se for parecido com o que já tínhamos na Brasil Ride nos últimos anos será tão difícil ou até mais. Logo após o prólogo teremos quatro provas difíceis e longas. Antes tínhamos o Cross Country Olímpico (XCO), antes da metade do evento, o que era uma oportunidade de descansar um pouco do ritmo de maratona”, conta Hans Becking.

Além dos atuais bicampeões, duplas como Tiago Ferreira (POR) e Roel Paulissen (BEL), ambos campeões mundiais de Maratona MTB, Hugo Prado e Lukas Kaufmann (SUI), Samuel Porro (ITA) e Alexey Medvedev (RUS), Luis Leão Pinto (POR) e Soren Nissen (DIN), Halysson Ferreira e Robson Ferreira, e os italianos Damiano Ferraro e Fabian Rabensteiner também prometem brigar pelo título da principal categoria. “Todos anos tem duplas fortes e nesta edição será mais ainda”, avalia Hans Becking.

“Com todos esses nomes, acredito que Jiri e eu não somos os favoritos. Meu palpite é que os ciclistas da equipe Trek San Marco, com as duplas formadas por Samuel e Alexey, e Damiano e Fabian, podem ser as surpresas. Por terem duas equipes, eles terão mais força como time, o que é um grande diferencial em uma ultramaratona. Nós gostamos de ser azarões e isso já funcionou bem antes”, completa Hans. “Precisamos contar com a sorte e lutar muito até o fim. A Brasil Ride é a corrida de estágios mais difícil do mundo e tudo é possível acontecer”, enaltece Novak.

Se em Porto Seguro os atletas terão todo o conforto local, com ótimos hotéis e lindas praias, em Guaratinga a estrutura será especial, com uma cidade sendo montada pela organização na Fazenda Conjunto Boa Vista, onde estarão acampados atletas e estafe. “Estou ansioso para esta edição. A Brasil Ride é especial, porque somos uma família por sete dias. Ficar juntos e dormir em um acampamento é muito melhor até do que todos dormirmos em um quarto de hotel”, comemora Jiri. “Sinceramente não tenho problemas com isso. Meu foco é único na corrida e nós vamos fazer o máximo para não termos outras preocupações”, finaliza Hans.

COMPARTILHE

Comente