MTB Rio 2016, furos de pneus, largadas históricas, abandonos, superação…

MTB Rio 2016, furos de pneus, largadas históricas, abandonos, superação…

A prova de mountain bike masculina das Olimpíadas 2016 foi marcada com muitos acontecimentos, principalmente com a vitória do ouro por Nino Schurter com bike de rodas 29″, sendo um dos maiores campeões de todos os tempos do MTB mundial, não faltando quase nada de título para sua coleção. Tivemos também a surpresa do espanhol Carlos Coloma pedalando demais na pista e travando uma batalha muito linda pela medalha de bronze.

Além dessas, muitas outros fatos marcaram a corrida no domingo chuvoso no MTB olímpico.

Problemas na largada

O espanhol José Antonio Hermida que teve uma queda de corrente já logo na largada, e foi ultrapassado por todos os ciclistas. Longe de desistir, o espanhol que correu a sua última Olimpíada lutou até o final e chegou na 15ª posição! Algo muito semelhante também aconteceu com o australiano Daniel McConnell, que ficou na penúltima posição, a frente apenas de Hermida, mas lutou até o final e ficou na 16ª posição.

Na largada, um dos favoritos a manutenção da medalha de ouro, o tcheco Jaroslav Kulhavy não conseguiu encaixar a sapatilha no pedal com perfeição e perdeu muitas posições. Mas fez uma prova de recuperação e batalhou com o campeão olímpico Nino Schurter até o final!

Saídas ÉPICAS

Com certeza a saída mais espetacular do MTB nas Olimpíadas foi do atual campeão mundial de ciclismo de estrada, o eslovaco Peter Sagan que largou em último lugar, mas em menos de 1 minuto já estava na oitava posição e brigando com os ponteiros. (Veja a largada aqui como foi)

Além dele, o ciclista Shlomi Haimy que representa Israel, atual nº 48 do mundo no ranking, fez uma ótima largada e já se lançou no grupo dos top 10, até que furou o pneu…

Outro ciclista que largou bem e fez bonito, foi o colombiano Jhonnatan Botero Villegas, que logo se juntou aos cabeças da prova, e lutou com Mathias Fluckiger até o final pela quinta colocação.

Furos de pneus e equipamentos detonados

Os casos de Marco Fontana e Peter Sagan foram os mais dramáticos da prova, Fontana vinha liderando a prova quando aconteceu o imprevisto… Já Peter Sagan que fez uma largada épica teve dois furos.

Os portugueses Tiago Ferreira e David Rosa, o alemão Manuel Fumic também não escaparam de furos e falhas no equipamento…

Julien Absalon

O multicampeão não precisa provar nada, mas certamente a Olimpíadas 2016 foi longe do que o francês esperava. Absalon não andou bem e parecia que as rodas estavam quadradas… mas deu o seu máximo e conseguiu a oitava posição.

Os Brasileiros

Henrique Avancini que é o atual campeão brasileiro de MTB XCO conseguiu uma boa largada se encaixando entre os cinco, mas foi perdendo o ritmo ao longo da corrida e fechou a prova em 1h41min18s na 23ª posição.

Já Rubens Valeriano que largou mais atrás, e teve que se virar pra sair de um enrosco com atletas nas primeiras curvas. Fez uma prova de recuperação e acabou cruzando na 30ª posição, com o tempo de 1h44min01s.

A surpresa da chuva 

Dias e dias de tempo seco e de uma noite para outra uma chuva de longas horas, uma surpresa para todos que esperavam o espetáculo. O layout artificial da pista ajudou muito a não a deixar lama pelo caminho, com bons pontos de drenagem.

Mas mesmo assim ainda muitos locais ficaram lisos, principalmente as partes com as grandes pedras. Afinal, ninguém havia testado a pista assim antes!

6 a 4 para as MTBs hardtails no Top 10

O ouro e a prata foram para as bikes full suspensions, Scott Spark e Specialized Epic respectivamente, mas as MTBs hardtails dominaram o Top 10. Coloma (MMR), Marotte (BH), Botero (KTM), Braidot (Olympia), Valero (MMR) e Koretzky (BH) foram 6 ciclistas com hardtail.

Absalon com o BMC e Mathias Fluckiger com o Stockli foram os outros 2 atletas que estava de full suspension.

COMPARTILHE

Comente