Legado olímpico? Não para o ciclismo de pista e para o MTB

Legado olímpico? Não para o ciclismo de pista e para o MTB

Legado olímpico, eu entendo que seja um investimento a longo prazo e que a estrutura que fica após um evento, no caso, as Olimpíadas, fica para desfrute e desenvolvimento social e cultural da população…

Me parece que isso não vai ocorrer no mountain bike, como já ouvimos falar… muitas desculpas de que o lugar é uma reserva militar, que o custo de manutenção é alto, e que não sei o que… e etc.
mountain-bike-rio-2016-olimpiadas
O velódromo que foi uma grande novela para construção, sendo uma das obras que mais esbanjaram dinheiro, e sendo uma das últimas a ser entregue. Parece que também não vai ser um legado, a ideia é construir uma casa de Show… isso mesmo, uma casa de Show! 

Foram gastos R$ 156 milhões, isso é o que foi anunciado, mas estima-se que foram gastos mais de R$ 200 milhões. Em uma estrutura que não vai continuar, desculpa de que os custos para manter a arena esportiva são altas.

“O meu medo é que o velódromo fique com a prefeitura”, confessa Cláudio Santos, o presidente da Federação Carioca de Ciclismo. “Demolir como fizeram como o velódromo do Pan, eles não vão, mas são capazes de retirar a pista interna para virar uma casa de show, pois tem muitos atrativos, como a arquibancada para 5 mil pessoas, além de ser totalmente climatizado”.

A preocupação de Cláudio pode parecer excessiva, mas não é, principalmente depois que os organizadores da Rio 2016 destruíram a pista de madeira e desmontaram o velódromo do Pan-americano, sob a alegação de que ele não era adequado para a Olimpíada.
velodromo das olimpiadas 2016 ciclismo de pista
“Só no Brasil poderiam fazer uma loucura dessas”, denunciou na época o arquiteto Sander Douma, o holandês responsável pela construção de 2007. “Com obras de 18 milhões ele se adapta perfeitamente às exigências olímpicas”.

“As alternativas existem, apesar dos gastos que não são pequenos. Só com a luz e o ar condicionado é uma fortuna. Mas, por exemplo, uma empresa pode dar o nome ao ginásio e patrociná-lo. Ou ainda o Ministério dos Esportes”.

Outro ponto favorável, que impediria a Prefeitura de por a mão no velódromo é o fato de que a verba para sua construção veio do governo federal, ao contrário da obra do Pan, bancada com recursos municipais: “Assim, a palavra final caberá sempre ao ministério”.

O presidente da federação tem planos bem definidos para usar o espaço: “Vamos incrementar a escolinha de ciclismo, vamos incentivar o alto rendimento, realizar clínicas, provas do ranking nacional, provas do ranking estadual e treinos de amadores para pedalar em segurança pela cidade. A realização de provas internacionais também deverá acontecer no velódromo, que é considerado um dos mais requintados do mundo”.

Vamos esperar para ver o que vai acontecer né… infelizmente o povo brasileiro não tem muita escolha, somente imposição!

Texto fonte: olimpiadas.uol.com.br

COMPARTILHE

Comente