Robson Ferreira e Tânia Pickler vencem o Warm Up Santa Catarina da Brasil Ride

Robson Ferreira e Tânia Pickler vencem o Warm Up Santa Catarina da Brasil Ride

O Warm Up Santa Catarina da Brasil Ride 2016, competição inédita da principal ultramaratona de MTB das Américas, conheceu neste domingo, 7 de agosto, seus campeões das disputas sport e pró, em São Pedro de Alcântara. Se na elite masculina o fluminense Robson Ferreira superou os favoritos para conquistar o título em 5h33min03, com mais de 14 minutos de folga para o vice-campeão Lukas Kaufmann, na feminina a paranaense Tânia Clair Pickler não deu chances para as rivais e subiu no lugar mais alto do pódio com o tempo de 7h23min38, 15 minutos à frente da segunda colocada, Viviane Favery.

Para os atletas da pró, o desafio começou no sábado, dia 6, com o prólogo de 16 km, no Resort Costão do Santinho, patrocinador principal do evento, em Florianópolis, realizado pela primeira vez nas provas da Brasil Ride em uma praia, o que deu ao público presente a oportunidade de conhecer de perto a modalidade. No dia seguinte, chegou a vez de os inscritos na pró enfrentarem a altimetria histórica de 3.719 metros, nunca antes atingida em uma prova de MTB no País, com 108 km, enquanto na sport o desafio também foi intenso, com 60 km e 2.000 metros de ascensão acumulada.

robson-ferreira-venceu-o-brasil-ride-warmup-santa-catarina

Foto: Ney Evangelista

Vindo do município de Mendes (RJ), Robson avaliou o nível de dificuldade da competição e contou como foi a disputa do domingo. “A prova foi difícil demais. Já esperava que seria complicada, pelos números da quilometragem e da altimetria acumulada, e também pelo nível dos adversários. A chuva deixou o circuito ainda mais técnico, muito pesado e com alguns trechos escorregadios. Qualquer coisa podia tirar um atleta da prova. Por isso fui cauteloso nas descidas, para evitar quedas e possíveis problemas no equipamento”, avaliou o campeão.

“Desde o início da prova me senti bem e vi que meus adversários tinham dificuldades nas subidas. Fiquei na dúvida se eles estavam controlando o ritmo para terem energia no final ou se era eu que realmente estava bem fisicamente”, comentou. “Em alguns momentos andei junto com os demais ciclistas, mas na terceira serra abri deles e fui embora. Após ficar no visual dos rivais, depois de um tempo saí do campo de visão e não tive a noção se eles estavam perto ou não. Aí, resolvi dar meu máximo até cruzar a linha de chegada em primeiro”, completou Robson, que usou a competição como preparação para a Brasil Ride, de 15 a 22 de outubro, na Bahia.

Atual campeão do Festival Brasil Ride Botucatu, o suíço Lukas Kaufmann terminou na segunda colocação, em 5h47min10. Completaram o pódio Hugo Prado Neto, Érick Bruske e Ricardo Pscheidt, entre terceiro e quinto lugares, respectivamente. Na elite feminina, além da campeã Tânia Pickler e da vice Viviane Favery, ficaram entre as cinco primeiras colocadas Ana Luisa Panini, Karoline Mariechen e Raquel França De Queiroz.

Campeã após ser a melhor tanto no prólogo quanto na prova de maratona, Tânia avaliou os dois dias. “No sábado foi uma prova mais explosiva e curta. Você tinha que dar o máximo até o fim, o que não é minha característica, porque sou uma maratonista nata”, contou. “No domingo, subimos e descemos o tempo inteiro, com pouquíssimos pedaços de planos. Largamos na chuva e com frio, para depois parar de chover e ficar só lama, o que é bem complicado”, observou.

Paranaense, mas radicada em Indaial (SC) desde os 7 anos de idade, Tânia não escondeu a satisfação com a vitória. “Para mim foi muito importante e super especial vencer o Warm Up Santa Catarina, porque me preparo desde o começo do ano para provas com essas mesmas características, que são as competições na faixa de 70 km ou mais”, comentou. “Foi um termômetro para o Brasileiro de Maratona, em São Fidélis (RJ). Fui campeã em 2014, vice no ano seguinte e vou tentar buscar essa camisa de novo. A dificuldade no Rio de Janeiro será menor, mas o Warm Up mostrou que estou no caminho certo”, completou.

Acostumada a disputar as principais provas de mountain bike realizadas em Santa Catarina, a campeã elogiou o nível das adversárias e também da competição. “As atletas que tive pela frente correm pelo Brasil inteiro e até no exterior, como a Vivi Favery, um nome de peso, o que engrandece ainda mais minha vitória. É um prazer enorme disputar a Brasil Ride em casa. Temos em Santa Catarina tudo para uma prova dessa: percurso, terreno e paisagens. É um lugar perfeito para a prática do MTB. A Brasil Ride chegou com tudo no estado e superou as demais provas como a mais difícil do calendário catarinense. A organização está de parabéns”, concluiu.

Os resultados das demais categorias do Warm Up Santa Catarina da Brasil Ride, na pró e na sport, estão disponíveis no site oficial da competição: Clique aqui e confira

Ao todo, 450 inscritos, de 103 cidades e 16 estados brasileiros, participaram do evento inédito realizado em Santa Catarina.

Foto capa: Fabio Piva

COMPARTILHE

Comente