Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017

Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017

O melhor mountain biker brasileiro da história Henrique Avancini é um atleta divertido, carismático e focado! Quando trata-se de treinamento, competição e equipamentos, Avancini leva tudo muito a sério. Extremamente rigoroso e muito técnico, sempre por dentro dos mínimos detalhes.

Avancini apresenta sua nova máquina de pedalar – a Cannondale Scalpel Si 2017 – que promete revolucionar o estilo de pedalada de XC (cross country) com suspensão integral. O brasileiro vem utilizando a bike desde o início do ano, quando participou da Cape Epic, ultramaratona de MTB na África do Sul. No entanto, a bike só foi apresentada oficialmente em maio na Europa, e no Brasil, ainda sem previsão de ser lançada, só deve chegar ao mercado no fim do ano de 2016, começo de 2017.

Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017_
A marca Cannondale, que é conhecida pelo design arrojado e peças integradas, apresentou uma Scalpel Si (System Integration) com objetivo de unir a geometria agressiva ao rendimento necessário para as competições mundiais mais exigentes.
“O quadro da Scalpel Si, buscou trazer um novo conceito que se adaptasse aos circuitos cada vez mais extremos do XC. Por isso o conceito foi nomeado XXC,” comenta Avancini.

Bike buscou trazer um novo conceito que se adaptasse aos circuitos cada vez mais extremos do XC.

Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017_2
“Dentre as inovações o que eu mais destaco é a possibilidade de acoplar 2 caramanholas; O sistema de fixação de links que usa um sistema de parafusos expansivos o que diminui o número de articulações nos links; O sistema de cabeamento é guiado e com uma grande facilidade para montagem e manutenção diferente de qualquer outra bike no mercado,” afirma.
Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017_3
Uma das principais novidades na Scalpel Si é o design do quadro com chainstay mais curto, batizado de sistema Ai (Asymetric Integration), que oferece mais capacidade de manobra sem sacrificar a distância livre do pneu traseiro ou limitar a configuração da coroa única montada no pedivela.

O mix deixa a bicicleta agressiva e com dirigibilidade.
“O bicicleta ficou bem mais curta (mais curta do que grande parte das hardtails do mercado) e com o mesmo conceito de posicionamento que a F-Si adota. Traseira mais curta, posicionamento do piloto mais na parte traseira da bike, top tube mais longo e angulo de suspensão mais “deitado”, o que é possível realizar somente com a Lefty. O mix deixa a bicicleta agressiva e com dirigibilidade,” acrescenta.
Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017_4
O chainstay (rabeta do quadro) assimétrico permite que o desenho coloque todo o sistema de transmissão deslocado 6mm para o lado direito, com isso aumentando a rigidez por aumentar a tensão nos raios das rodas. Outra vantagem anunciada é a melhor tração.

Escolhemos entre 5 modelos de pneus dependendo das condições da pista. Eu geralmente uso a calibragem entre 22 e 23.5 psi.
“As rodas usadas pela CFR (Cannondale Factory Racing) São as ENVE M50. Eu particularmente gosto muito das rodas. São rígidas, leves e com perfil alto e largo permitindo acoplar um volume de ar bem grande o que influencia bastante na rolagem. Utilizamos pneus da Schwalbe e escolhemos entre 5 modelos dependendo das condições da pista e preferência do piloto.  Eu geralmente uso a calibragem entre 22 e 23.5 psi, e apesar de ser uma calibragem considerada baixa, geralmente eu sou o piloto que roda com mais pressão na CFR,” revela.

Transmissão
“A bike é equipada ainda com transmissão SRAM (XX1 ou Eagle) dependendo da escolha do piloto; Monoplas e selim da Prólogo, guidão e canote FSA. Usamos os novos freios Level da Sram,” descreve.
Henrique Avancini apresenta sua nova Cannondale Scalpel Si 2017_5
Novo rumo
A nova geometria chamada de “OutFront” combina os 69.5º de ângulo na caixa de direção e 55mm de offset no garfo, medida exclusiva para as suspensões dianteiras Lefty.

A bike como um todo trouxe uma grande possibilidade para nós.
“A bike como um todo trouxe uma grande possibilidade para nós.
Antigamente tínhamos que escolher entre a agressividade com uma cobrança maior do corpo, ou uma bike que fosse mais confortável e com uma resposta menos rápida. Com a Scalpel Si, a Cannondale conseguiu chegar numa equação entre uma bike que oferecesse controle e economia energética e ainda assim tivesse uma resposta agressiva,” explica Avancini.

Particularidades da bike de Henrique Avancini
Cada um tem um estilo de pilotagem, por isso vamos aos detalhes da própria bike usada por Avancini.

Um fato curioso é que nenhum dos pilotos da CFR usa a suspensão travada.
“O tamanho que utilizo é M (1,76), mesa 90mm; Angulação tenho que confirmar pra não passar nada errado; coroa 34 ou 36 dentes. Nas suspensões Lefty temos uma parceria com o centro de Tunagem das Leftys chamado 88 Aid, que deixa a suspensão com um funcionamento ainda mais linear e macio. Um fato curioso é que nenhum dos pilotos da CFR usa a suspensão travada. Todos nós optamos por uma espécie de sag, ou curso com maior resistência e que varia de piloto para piloto. O Anton Cooper, usa mais próximo de travada, Eu e Fontana usamos um pouco mais macia e o Fumic usa bem mais macia,” completa.

Texto by www.redbull.com e fotos by Michele Mondini

COMPARTILHE

Comente