Primeiro simulador de altitude do Brasil chega em Belo Horizonte para treinamento de ciclistas

Primeiro simulador de altitude do Brasil chega em Belo Horizonte para treinamento de ciclistas

Já pensou em melhorar a sua performance física praticando a atividade de sua preferência dentro de uma tenda que simula uma altitude de até cinco mil metros? Sim, é possível conseguir essa façanha sem precisar escalar o Monte Everest. Isso porque já existe no mercado um simulador de altitude que visa aumentar a performance dos atletas – amadores ou profissionais – antes das competições. A novidade, vinda da Inglaterra e chamada de Power Breathe Altitude System, acaba de chegar a Belo Horizonte e pode ser conferida na Power Cycle, centro de treinamento localizado no bairro Mangabeiras e o único no Brasil a oferecer o treinamento.

Trata-se de uma tenda que pode ser colocada em volta de uma esteira ou bicicleta, cujo objetivo é diminuir a concentração de oxigênio dentro da câmara onde o atleta treina. O mecanismo funciona por meio de um compressor que vai tirando o ar de dentro da tenda, tornando-o rarefeito. “É possível chegar a até cinco mil metros de altitude, mas é um treinamento muito individual e depende do condicionamento de cada um. O mais comum é o atleta alcançar 3,5 mil metros”, explica o empresário Rafael Damasio, proprietário da Power Cycle.

De acordo com ele, o mecanismo do equipamento estimula a produção de glóbulos vermelhos e consequentemente melhora o transporte de oxigênio no sangue e aumenta a capacidade aeróbica do atleta. “À medida que ar vai ficando mais rarefeito, o corpo começa a aumentar a sua capacidade de oxigenação e, com o tempo, o atleta consegue melhorar a sua performance e sustentar o esforço por um tempo maior”, explica Rafael.
Primeiro simulador de altitude do Brasil chega em Belo Horizonte para treinamento de ciclistas power breathe altitude
Esse tipo de treino é muito utilizado por atletas que participam de provas de longa duração e precisam melhorar o seu sistema de energia aeróbica, dentre eles, profissionais do triatlhon, ciclismo, atletismo, natação, corrida, futebol e demais modalidades que dependem de uma performance alta. Mas tecnologia também é recomendada para amadores que queiram, simplesmente, melhorar o condicionamento físico.

Prática deve ser feita com responsabilidade

Como qualquer outra atividade, o Power Breathe Altitude System também requer alguns cuidados na sua utilização. Antes de iniciar o treino, os alunos precisam passar por uma avaliação profissional. “Não é qualquer pessoa que está apta para passar pelo treinamento. Aqueles que já têm uma performance mais avançada e um bom condicionamento físico apresentam uma resposta melhor”, esclarece Rafael. Segundo ele, é imprescindível o acompanhamento de um profissional de educação física durante a atividade. “A saturação de oxigênio é monitorada durante toda a prática e essa verificação só deve ser feita por um especialista. Vale lembrar, ainda, que pessoas com histórico de pressão arterial elevada e arritmia cardíaca não devem passar pelo esforço”, alerta.

A intensidade dos treinamentos varia de acordo com a modalidade do atleta e com a performance que ele gostaria de atingir. Mas o ideal é que a prática seja realizada pelo menos três vezes por semana com duração de, pelo menos, uma hora. “Para fins de competição profissional, o recomendável é que os treinos sejam feitos até na véspera da prova. E quanto maior a altitude, maior são os ganhos”, completa Rafael.

Novidade no Brasil

A Power Cycle é o primeiro centro de treinamento a oferecer a tecnologia no Brasil. É sabido que a USP possui um equipamento semelhante, mas apenas para fins de pesquisa. “Estamos saindo na frente ao trazer o Power Breathe Altitude System para Belo Horizonte. Em um ano de Olimpíadas, já estamos em negociação com alguns comitês que se mostraram interessados em trazer alguns atletas para treinarem conosco”, adianta Rafael.  Além disso, prossegue, “já temos uma grande demanda de atletas amadores que gostariam de melhorar suas performances e estão dispostos a investir nisso. Antes de trazer o equipamento para o Brasil, fizemos uma vasta pesquisa com assessorias esportivas e descobrimos que em Belo Horizonte esse mercado está crescendo”. O investimento inicial foi de R$ 400 mil.

Antes de começar o funcionamento do Power Breathe Altitude System, a equipe da Power Cycle passará por um treinamento intensivo com o especialista Jackson Stuart, que vem para o Brasil exclusivamente para esse fim. Formado pela Cardiff Metropolitan University em Londres, com especialização em Ciência da Saúde, Exercício e Esportes, Stuart traz na bagagem o que há de mais moderno em treinamento de simulação de altitude.

Foto capa: Power Cycle Divulgação

COMPARTILHE

Comente