Ricardo Pscheidt foi um dos grandes responsáveis pela segunda vaga olímpica no MTB

Ricardo Pscheidt foi um dos grandes responsáveis pela segunda vaga olímpica no MTB

O catarinense Ricardo Pscheidt foi um grande protagonista e responsável por boa parte dos pontos, que deu a segunda vaga para o Brasil no MTB para as Olimpíadas 2016. Com certeza sem a ajuda e o excelente trabalho de Pscheidt não teríamos mais um atleta nos representando. Claro que foi um trabalho em conjunto, querendo ou não a luta era e continua sendo pela nação e não individual.

Tenho uma grande admiração pelo Pscheidt, atleta que mesmo deixando família, competiu com garra, força e alma para lutar pela vaga…

Veja abaixo o depoimento do atleta, realmente inspirador e que sirva de exemplo, pois no momento crítico que passamos, principalmente de liderança no nosso país onde a maioria dos atletas não tem o valor que merecem!

“O sonho de disputar uma olimpíada mais uma vez bateu na trave. Quando foi divulgado o critério para a segunda vaga início do ano, caso o Brasil a conseguisse, eu estava com uma boa desvantagem. Mesmo assim optei por partir para uma maratona de competições, a qual seria a única forma de buscar os pontos necessários. Em cada corrida, em cada subida, em cada curva, em cada nova aceleração era como se fosse uma prova decisiva aonde eu sempre estive no meu limite e dando o meu máximo. Independente de problemas mecânicos, dores, lesões ou simplesmente estar totalmente desgastado em algumas dessas corridas, coisas estas que não citamos todos os dias pois fazem parte da rotina de qualquer atleta, em qualquer modalidade, eu fiz o que estava ao meu alcance, não sou de dar de desculpas, simplesmente não a consegui.

Também não fui o atleta que contribuiu com 50, 40 ou 30% dos pontos total do time brasileiro, mas sei que mesmo não ficando com uma das vagas eu contribui de forma direta e decisiva para a conquista desta segunda.

Torço para que depois dessa Olimpíada, a geração de atletas que vem depois de nós tenham condições de fazer mais do que conseguimos fazer dentro desse esporte.

Quero agradecer a todos que estiveram ao meu lado nesta batalha que foi intensa principalmente nestes últimos meses, em especial ao meu treinador Vitor Costa pela atenção dispensada nesta fase decisiva, a minha equipe Trek Brasil Racing por todo o suporte e apoio e a minha esposa Josiane Pscheidt, que foi que ficou em casa e segurou as pontas, principalmente com as crianças nestes 4 meses de viagens sem parar.”

COMPARTILHE

Comente