Viviane Favery foca no Mundial de Maratona de MTB após competir 2 etapas da copa do mundo de XCO

Viviane Favery foca no Mundial de Maratona de MTB após competir 2 etapas da copa do mundo de XCO

Viviane Favery faz um balanço positivo de sua participação nas Copas do Mundo de Albstadt, na Alemanha, e La Bresse, na França, no mês passado. Apesar de disputar provas de XCO, que não é a sua categoria, a atleta destaca a experiência e aprendizado que lhe serão muito importantes para o Mundial de Maratona de MTB, no fim de junho, na França. Ambas as competições funcionaram como preparação para o grande objetivo na carreira até aqui.

“Foi a minha segunda participação em World Cup. Pude chegar com um pouco mais de preparo e noção do que eu enfrentaria. Pude focar em alguns detalhes que eu não tinha feito tão bem em Albstadt, principalmente em acertar a largada. Consegui colocar isso em prática em La Bresse. Fiz uma excelente largada. Como um todo, foi uma prova dura, de aprendizados e experiência. Que exigiu muita coragem e muita determinação para terminar. Exigia muito braço e muito movimento do corpo. No Cross Country, você tem que dar tudo na subida e descansar a perna na descida. Foi muito desafiador e difícil fazer as descidas, depois de uma subida no limite. Dei meu máximo”, analisa Vivi Favery.

“Quando terminei, estava completamente esgotada, física e mentalmente. Precisei de horas para me recuperar e voltar ao normal. Acabei essa prova com uma sensação de que fiz um trabalho de etapas. Já consegui absorver os aprendizados, o que é uma World Cup e competir nesse nível. Sinto orgulho da minha trajetória. Há seis meses, eu trabalhava em uma mesa de escritório e, agora, participo com atletas que pedalam há 15, 20 anos”, acrescenta a ciclista, que compete pela ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS.

Independentemente do resultado tanto em Albstadt quanto em La Bresse, Viviane Favery tira muitas lições e aprendizados para a sequência de sua carreira. Depois das duas provas, na Alemanha e na França, ela viaja à Suíça e inicia período de treinamentos com a companheira de equipe Nathalie Schneitter.

“Muito legal ter contato próximo com atletas que sempre admirei. Conversar com elas e receber força, motivação… admirarem a minha história. Teve essa troca e foi muito legal. Foi uma experiência muito trabalhosa e difícil disputar essa prova. Agora, é focar no Mundial, no fim do mês, na França. Vou para a Suíça na semana que vem e passo 15 dias lá com a Nathalie (Schneitter, companheira de equipe), treinando. Ela também vai (pro Mundial). Faremos uma prova de Maratona juntas no dia 12, na Suíça, focadas em trabalharmos para o Mundial”, conclui a atleta.

COMPARTILHE

Comente