O atleta Lukas Kaufmann vence 2ª etapa do Brasil Ride Warm Up 2016

O atleta Lukas Kaufmann vence 2ª etapa do Brasil Ride Warm Up 2016

O segundo dia do Warm Up Pró no Festival Brasil Ride Botucatu desafiou os participantes com um percurso de 81 km nas trilhas de Botucatu e Pardinho, na região da Cuesta Paulista. Líder após vencer o prólogo no dia anterior, o suíço radicado em Belo Horizonte Lukas Kaufmann repetiu a dose e venceu nesta sexta-feira (27) o segundo de três dias da competição. Foram apenas poucos décimos de segundos que separaram Lukas Kaufmann do segundo colocado, seu companheiro de equipe Hugo Prado Neto, bicampeão do Warm Up, ao vencer em 2013 e 2015.

“Sabia que o percurso do prólogo era mais curto e me favorecia, por ter características do Cross Country Olímpico (XCO), modalidade que venho treinando forte nas últimas semanas. O objetivo era fazer um tempo bom, sem me machucar e sem sofrer. Foi ótimo e me senti bem, com uma vantagem de um minuto”, relembrou Kaufmann. “Nesta sexta, queria ao menos manter minha diferença para os rivais e marcar os atletas mais fortes da prova, gastando o mínimo de energia possível e me mantendo entre os primeiros. Deu tudo certo, no final o Hugo fez um ataque surpresa e conseguimos abrir alguns segundos para o Robson Ferreira e o Ricardo Pscheidt, terceiro e quarto colocados”, destacou o suíço. “A última prova será muito diferente, mais longa e com a tendência de um desgastes maior. Quem conseguir descansar melhor até lá vai chegar na frente”, completou.lukas-kaufmann-e-hugo-prado-neto-no-brasil-ride-warm-up-2016Atual Rei da Cuesta, o mineiro Hugo Prado Neto comemorou o resultado em dobro. Hugo não estava feliz apenas pelo seu desempenho, mas também pela performance de Lukas, treinado por ele em Minas Gerais. “A prova nesta sexta começou rápida e em pelotão, como era esperado. A serra do meio era dura e lá que haveria a separação. Meu parceiro de equipe também está forte, forçamos o ritmo e formamos um grupo de quatro atletas com Robson e Pscheidt. No final, por conhecer muito bem o percurso, ataquei e o Lukas veio junto. Assim, ganhamos alguns segundos dos outros dois”, conta Hugo. “A última prova é o dia da verdade. Não adianta gastar tudo antes e afogar na hora da decisão e não aguentar andar na frente”, analisou.

“Eu treino o Lukas Kaufmann. Se ele ganhar, também me sinto campeão como treinador dele. É muito difícil bater o Lukas, porque é um atleta completo de nível olímpico e mundial. Ele treinou cross country demais nos últimos dois meses. Gostaria de terminar fazendo uma dobradinha, independente de quem ficar em primeiro. Sinto que temos chance de sermos campeão e vice. Esse é o objetivo maior no momento”, finalizou Hugo Prado Neto.

Terceiro colocado no dia, o fluminense Robson Ferreira avaliou o resultado como positivo por ter acumulado uma boa distância para os rivais que ficaram à sua frente no prólogo, como João Paulo Firmino e Marcelo Moser. “Espero ter me colocado entre os quatro ou cinco primeiros com esse resultado hoje. Consegui tirar uma boa diferença para os rivais, o que era meu objetivo”, destacou Robson. “A última prova será muito dura. Preciso descansar, me alimentar bem e me colocar entre os primeiros, porque se algum dos adversários vacilar, melhoro minha posição no geral”, completou o atleta de Mendes (RJ).

Nova líder no feminino – Especialista em maratona, a catarinense Ana Luisa Panini conseguiu subir da terceira colocação para a liderança ao vencer o segundo dia. “Foi duro demais. Larguei bem atrás no pelotão e imaginava que era a primeira mulher, Mas no final da subida mais longa eu encontrei duas adversárias na minha frente. Foi uma surpresa. Na hora pensei apenas em dar meu máximo para ultrapassá-las e fazer um contrarrelógio até cruzar a linha de chegada. Fiz isso e deu certo. Estou muito feliz”, contou Ana Luisa, de Indaial (SC).

Em sua estreia no Warm Up Pró, Fernanda Prieto, elogiou a organização e se mostrou confiante pela busca do título. “Fiz o segundo melhor tempo do prólogo, apesar de ter levado um tombo. Fiz outro segundo lugar e continuo como vice-líder. A prova realmente é como dizem. Bem com a cara da Brasil Ride. Um percurso maravilhoso, com partes técnicas. Agora é me recuperar e guardar tudo para etapa Rainha. Não há nada para comemorar, antes que acabe a competição. Se a final for técnica, irá me favorecer um pouco, mas, as adversárias estão bem treinadas e fortes. Iremos disputar até o último segundo. Vou dar meu máximo para buscar o primeiro lugar”, avaliou Fernanda.

Fotos: Ney Evangelista/NG Fotos – Rafael Zappa – 

COMPARTILHE

Comente