Renato Rezende e Priscilla Stevaux na etapa holandesa da Copa do Mundo de BMX

Renato Rezende e Priscilla Stevaux na etapa holandesa da Copa do Mundo de BMX

Na reta final para garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, três atletas do Shimano Sports Team têm importantes desafios neste fim de semana no exterior. Enquanto o carioca Renato Rezende (GT/FOP/Shimano) e a paulista Priscilla Stevaux (Caixa/Shimano/PowerCycles) disputam a etapa holandesa da Copa do Mundo de BMX, em Papendal.

Renato Rezende e Priscilla Stevaux vão à pista para realizar os treinos oficias no sábado pela manhã. À tarde será disputada a fase classificatória e o Time Trial (Contrarrelógio), destinada aos melhores colocados no ranking geral do torneio. No domingo, será vez das fases finais da Copa do Mundo. Os dois pilotos encaram a competição de formas diferentes. Para Rezende, a competição holandesa será a primeira após fraturar a clavícula, em fevereiro.

“Me dediquei ao máximo para minha recuperação e fiz tudo que meu médico, fisioterapeuta e técnico falaram para eu fazer. Dei meu 100% para voltar. É difícil falar em resultado, porém, espero andar bem e pegar ritmo de prova. Querendo ou não, sem competir perdemos ritmo e nessa etapa posso melhorar isso. Para mim, a classificação final, seja ela qual for, me deixará satisfeito”, destaca Rezende, que seguirá na Holanda após a Copa do Mundo de BMX para continuar os treinamentos de forma intensiva.

Já para Stevaux será a volta a uma de suas pistas favoritas e a possibilidade de praticamente garantir sua vaga na Rio 2016. “Estou contente porque esta era uma das corridas que mais esperava no ano, por ser em uma das minhas pistas favoritas. Me identifico com os saltos e gosto muito de treinar e competir aqui em Papendal”, revela Priscilla.

“Essa será a última corrida para a decisão da vaga no Campeonato Mundial e, se tudo der certo, em consequência de um bom resultado, eu garantiria também a classificação nos Jogos Olímpicos. Estou na frente da minha concorrente e animada, mas, tenho consciência de que terá de ser minha melhor prova no ano, porque outros países também definirão seus representantes na Rio 2016, o que eleva ainda mais o nível da disputa”, avalia a sorocabana.

Foto capa: Craig Dutton / UCI

COMPARTILHE

Comente