Raiza Goulão e Viviane Favery são campeãs da Brasil Ride 2015

Raiza Goulão e Viviane Favery são campeãs da Brasil Ride 2015

A dupla Specialized Women Brasil, formada por Raiza Goulão e Viviane Favery, é campeã da Brasil Ride 2015, encerrada neste sábado (24), na cidade de Mucugê, na Chapada Diamantina, na Bahia. Após sete dias de disputa intensa e 600 km, elas levantaram o título da principal ultramaratona de MTB das Américas na categoria ladies com a impressionante vantagem de 3h20min25 para as segundas colocadas Isabella Lacerda e Nina Baum. Raiza, da AOO Specialized, comemorou ainda mais em função da conquista de 120 pontos para os rankings olímpico e mundial, o que a deixa mais perto da vaga para a Rio 2016.

Raiza não escondeu a satisfação pelo grande resultado. “Esses 120 pontos vão me fazer subir muito nos ranking internacionais. Estou muito feliz e acho que a caminhada olímpica está indo muito bem, graças a Deus. A vaga está quase certa. Estou sempre me dedicando desde o começo desse ciclo, focando muito nesse objetivo e é um sonho que está se tornando realidade. É dedicação total, durmo pensado nisso, acordo pensando nisso. Mas não digo que é sacrifício porque faço o que eu gosto”, disse a atleta da AOO Specialized. A alegria pelo bom desempenho não mata a sede por melhorar mais. “Descubro, a cada dia, que meu limite é além. Aqui na Brasil Ride foi outro exemplo. Descobri que meu limite é muito mais do que eu imaginava. Nunca pensei completar me sentindo tão bem como estou. E isso me motiva ainda mais para a olimpíada, de brigar com as melhores do mundo.”

Vivi, da Specialized Factory Racing Team, foi testada física e psicologicamente na Brasil Ride. E passou no teste. “Não sabia como eu iria reagir ao andar no meu limite todos os dias, por sete dias. São 600 km no seu limite físico e emocional. Então, apesar de estar em dupla, é um sofrimento solitário, porque não tem drama, não tem mimimi. É calar a boca e pedalar, porque se está ruim, está ruim para todo mundo. Dei meu melhor. Dei tudo que eu tinha, não sobrou absolutamente nada, tanto que na etapa final, eu já não tinha mais forças. Saio da Brasil Rider outra pessoa”, disse, com os olhos marejados. Segurando as lágrimas, completou: “Agora acho que estou pronta para muito mais na vida, como mulher, como profissional, como atleta, como ser humano.”

Ambas as atletas pedalam com a S-Works Era, bike feminina de mountain bike de alto nível. E a sintonia da dupla foi além do equipamento na Brasil Ride. “Estou honrada de ter sido dupla da Raiza. Ela foi uma parceira excepcional. Eu nunca imaginei que ela tivesse esse nível de pedal, nem esse nível como ser humano.Ela ganhou uma amizade para sempre. Por toda a vida, ela pode contar comigo para o que precisar, porque o que ela fez comigo, de me respeitar nesses sete dias, não tem preço. Sei que é muito difícil andar abaixo do seu limite, do seu potencial, e ela soube administrar o que a gente tinha de bom. Ela soube usar o meu melhor, potencializar a minha força, que não é tão grande como a dela”, disse Vivi.

Raiza compartilha os sentimentos da parceira pelas trilhas da Chapada Diamantina. “Pedalei livre, leve e solta na Brasil Ride. Nunca competi tanto e dá para ver nas fotos que estava sempre curtindo. Tentei respeitar o limite da Vivi ao máximo. Quando eu via que precisava, eu a puxava. Fiz o máximo para ajudar a dupla. Pensei que não iria ter paciência de fazer esse trabalho em dupla, que exige muito do psicológico, mas foi muito legal”, disse Raiza.

A dupla Specialized Women Brasil dominou a Brasil Ride. Sempre na frente na classificação geral da categoria Ladies, Raiza e Vivi conquistaram cinco vitórias consecutivas e abriram larga vantagem que permitiu administrar as duas últimas etapas, as quais chegaram em segundo e terceiro lugar. “Os cinco primeiros dias foram muito legais e os dois últimos a gente só administrou, porque a diferença era grande e eu ajudei a minha parceira. O limite dela já tinha estourado, então, a gente preferiu só completar a prova”, completou Raiza.

COMPARTILHE

Comente