Brasil Ride 2015 será decidida na última etapa

Brasil Ride 2015 será decidida na última etapa

Após ter três pneus furados na quinta disputa da competição, nesta sexta (23) o dia foi pior ainda para a dupla de austríacos, que liderava a principal ultramaratona de MTB das Américas, e agora estão fora da competição. Melhor para o holandês Hans Becking e o tcheco Jiri Novak, vencedores da prova. Eles têm agora 39min08 de vantagem para Hugo Prado Neto e Lukas Kaufmann. A decisão do título da Brasil Ride 2015 será decidida na última etapa, neste sábado (24), com largada as 9h (10h de Brasília), em Mucugê, com percurso de 72,1 km.

Após garantirem o título em 2014 apenas na última etapa, Hans e Jiri mais uma vez tomaram a liderança no final da competição. “Foi uma corrida muito difícil para mim. Os dois austríacos estavam muito rápidos na primeira subida, mas Hans e eu nos mantivemos no pelotão. Após os dois pneus furados, conseguimos escapar e partir para a vitória. É curioso porque eles tiveram má sorte dois dias seguidos, enquanto nós não tivemos problemas dia nenhum. Não erramos e foi perfeito nosso desempenho”, destacou Jiri Novak.

“Todos os dias procuramos manter nosso próprio ritmo. É muito raro não ter nenhum problema com pneus ou qualquer coisa mecânica na bike, mas nós temos experiências anteriores que nos ajudam demais nos resultados. Nos últimos 40 km forçamos muito o ritmo, porque sabíamos que era nossa chance de garantir a liderança. Vamos analisar nossa diferença para os rivais. É provável que não nos arrisquemos na final aqui em Mucugê”, afirmou Hans Becking.

Os austríacos estavam entre os primeiros até o fim da primeira subida do percurso, na saída de Rio de Contas. Porém, no término do trecho seguinte, o do downhill, tiveram o primeiro problema mecânico, com pneu furado de Herman. Em seguida, na altura do km 60 de 143 da etapa, foi a vez de um dos pneus de Daniel ser danificado, só conseguindo consertá-lo no ponto de apoio com o Suporte Neutro Shimano. A 10 km do fim, um acidente entre os dois colocou fim no sonho do título inédito.

A segunda colocação da etapa ficou com Hallyson Ferreira e Rafael Mesquita, o Catalão. Já o terceiro lugar no pódio foi definido em dois sprints de chegada. Na média dos tempos, Steffen Thum e Remi Laffont garantiram o terceiro lugar, com apenas três segundos de diferença na média para Henrique Avancini e Wolfgang Olsen. Vice-líderes da open, Hugo Prado Neto e Lukas Kaufmann terminaram na 14ª colocação.

Brasil Ride 2015 será decidida na última etapa

Para Catalão, o resultado foi mais que especial, porque, segundo o ciclista, sua preparação anual é sempre feita pensando na ultramaratona. “Particularmente me preparo o ano inteiro para estar aqui. Abri mão de algumas provas e em outras fiquei longe do resultado desejado, porque um dia antes estava treinando para me preparar para estar na Brasil Ride. O trabalho é feito para chegar forte nessa competição. Não sou profissional do esporte e andar com esses caras é demais. Esse é meu sexto ano. Quando terminar amanhã (sábado) já vou pensar no ano que vem. Muito gratificante subir no pódio com essas feras. O Hallyson ajudou muito e definimos que era dia de estourar o champanhe”, vibrou o ciclista mineiro.

Quarto colocados no geral, Steffen Thum e Remi Laffont também não esconderam a felicidade com o segundo pódio em seis provas da atual edição. Na sua primeira visita ao Brasil, Remi não poupou elogios à organização. “A corrida foi muito longa. Não era muito técnica, mas necessitava força para obter um bom resultado. Estou muito feliz, porque fizemos um excelente trabalho. Agora estamos na disputa pela terceira colocação geral”, comemorou. “Achei a prova muito bonita, com pessoas ótimas e as coisas funcionando perfeitamente. O espírito da prova é muito legal. É muito difícil e com certeza é uma das mais complicadas”, completou.

Isabella Lacerda e Nina Baum venceram a etapa! Após atacar no início da competição, a dupla conseguiu administrar a vitória até o fim. Mesmo assim, sobrou emoção, com Isabella indo às lágrimas. “Esse choro é um pouco de tudo. Vim arrastando a Nina desce o km 1. Quando a gente chegou no asfalto e informaram que as meninas (Raiza e Vivi) estavam chegando, não acreditei. Não sei de onde tirei forças. Eu queria muito, muito chegar e ia ficar decepcionada se não cruzasse a linha de chegada em primeiro, porque a força que fiz, nunca fiz na vida. A Nina não estava aguentando. Ela segurou no meu camelback em todas as subidas e eu pedi muito a Deus para me dar forças, porque vontade eu tinha demais. Estou muito feliz”, disse.

Para as líderes Raiza e Vivi, o resultado não foi ruim. Elas chegaram a apenas 1min05 das vencedoras do dia e seguem com a mão na taça de 2015, com 3h41min42 à frente das concorrentes Isabella e Nina. “A gente veio junto até a primeira serra. Vi que elas (Isabella e Nina) estavam botando ritmo forte, mas eu a Raiza viemos tranquilas. Foi a estratégia da dupla, manter um passo e não sair dele. A gente está com uma vantagem boa, pois falta um dia de prova. Viemos se afobar e arriscar o equipamento. A Raiza está respeitando o meu ritmo e teve que ter muita paciência, porque, para ela, foi um passeio”, completou. As italianas Annabella Stropparo e Elena Gaddoni abandonaram a disputa após Elena sofrer uma lesão no braço durante a quinta etapa.

Classificação da sexta etapa – Open
1-Hans Becking (BEL)/Jiri Novak (TCH) – Superior-Brentjens – 5h52min07
2-Halysson Ferreira (BRA)/Rafael Mesquita (BRA) – Oce Cannondale – 5h57min04
3-Remi Laffot (FRA) / Steffem Thum (GER) – Ulra Sports Rose – 6h08min15

Classificação da sexta etapa – Ladies
1- Isabela Lacerda (BRA)/Nina Baum (EUA) – LM Shimano – 7h48min45
2- Raiza Goulão (BRA)/ Vivi Favery (BRA)- Specialized Women – 7h49min50
3-Erika Gramiscelli (BRA)/Letícia Cândido (BRA) – LM Shimano – 9h13min48

COMPARTILHE

Comente