Shimano apresenta XTR Di2 no evento Aquece Rio

Shimano apresenta XTR Di2 no evento Aquece Rio

Foto: Pedro Cury

Atletas dizem que XTR Di2 é um dos melhores componentes já inventados.

Para mostrar o novo equipamento, a Shimano organizou um encontro com a imprensa na manhã desta sexta-feira (9) no Rio de Janeiro com alguns dos ciclistas que utilizam o grupo eletrônico, como a campeã mundial de 2014, a canadense Catharine Pendrel (Luna Pro MTB), o espanhol Sergio Mantecón (Trek), 15. do mundo, e a promessa brasileira Luiz Cocuzzi (Lar/Scott/Shimano), tricampeão nacional sub-23.

O gerente de marketing da Shimano Latin America, Rogério Tancredi, conduziu o encontro e mostrou detalhes do produto. “Esta é uma oportunidade única para falarmos sobre o sistema de transmissão eletrônica XTR Di2, que equipa as bicicletas de alguns dos favoritos a medalhas nos Jogos do Rio 2016, assim como sabermos a opinião destes atletas, que estão no Rio para competir no evento teste”, ressaltou o executivo.

O espanhol Sergio Mantecón está muito satisfeito com o produto. “O XTR Di2 é uma verdadeira revolução dentro do Mountain Bike. Ele garante maior rendimento e facilita muito a vida do atleta, pois basta apertar um botão para mudarmos rapidamente as marchas”, avaliou. Catharine Pendrel concorda com Mantecón. “O produto aumenta a performance ao nos dar maior sensibilidade na troca de marchas. O sistema é consistente e confiável para ciclistas de alto rendimento”. 

Luiz Cocuzzi está usando o equipamento há quatro meses com bons resultados, como o campeonato brasileiro conquistado em julho. “Fiz várias provas e percebi que aumentou minha eficiência. Na redução de marchas, por exemplo, tudo é muito rápido, o que facilita as retomadas. Quero continuar usando por muito tempo”, garantiu.

Detalhes do produto – O XTR Di2 (eletrônico) vem complementar o XTR 9000, versão mecânica, recentemente lançado. A plataforma Di2 oferece vantagens, comparada à versão mecânica, incluindo-se trocas de marchas mais rápidas, precisas e potentes, e que permanecem consistentes em todas as condições de pilotagem.

As trocas de marcha do XTR Di2 exigem mínimo esforço: ocorrem com o simples pressionar de um botão. O XTR Di2 também apresenta possibilidade de programação de troca de marchas por meio do modo Synchronized Shifting (Mudanças Sincronizadas) e proporciona um visual mais clean à bicicleta de MTB, além de baixa manutenção graças a utilização da fiação elétrica, substituindo os tradicionais cabos de aço e conduítes.

A mudança eletrônica de marchas é feita por meio de um botão eletrônico no trocador FIREBOLT, que oferece sensação natural devido ao clique e som de acionamento, além de ótima resposta em relação à ergonomia. O Firebolt oferece fácil acionamento com botões de mudança com curso de ação curto e resposta tátil.

Operação Intuitiva – Uma das principais vantagens do sistema de transmissão eletrônica é sua capacidade de programação. Com o XTR Di2 é possível obter a melhor configuração de trocas de marcha para cada estilo individual de pilotagem. O XTR Di2 utiliza a mesma plataforma E-Tube dos atuais grupos de estrada Di2. A plataforma E-Tube permite programação do sistema transmitindo sinais interativos para cada componente individual do grupo por meio de conexões ‘plug’n play’.

O E-tube torna possível customizar seu sistema de trocas de marcha mudando a função dos botões de troca. Por exemplo: é possível mudar o controle do câmbio dianteiro para o botão de troca direito, ou alterar o controle do câmbio traseiro para o botão esquerdo. Mudanças múltiplas também são possíveis e podem ser totalmente programáveis no XTR Di2 quando se mantém o botão de trocas acionado por alguns segundos.

A velocidade com que as marchas são trocadas pode ser customizada assim como a quantidade das trocas. É possível a troca de no máximo 2 pinhões acionando-se o botão, ou mesmo a mudança de todas as marchas do cassete de uma só vez. Utilizar fiação elétrica significa zero de ferrugem e a eliminação de cabos esticados e/ou retorcidos. O equipamento garante também baixa manutenção e trocas de marchas consistentes em comparação aos tradicionais sistemas mecânicos, mesmo em condições severas de lama ou chuva.

Umas das características mais marcantes do XTR Di2 é a nova opção Synchronized Shifting. No período de testes, em mais de 20.000 km, os engenheiros da Shimano puderam analisar as marchas mais utilizadas pelos bikers para obter maior eficiência.

Com o Synchronized Shifting acionado, é possível controlar os dois câmbios com apenas um trocador. O câmbio dianteiro lê a posição do câmbio traseiro e automaticamente se posiciona para utilizar as engrenagens de forma mais eficiente e com o melhor alinhamento da corrente para que o biker nunca tenha que se preocupar com as mudanças dianteiras e correções de marcha.

A Shimano utilizou todas as informações colhidas nos testes para produzir e pré- definir dois ‘mapeamentos de marcha’. O E-Tube permite que o biker mude estas pré-definições para criar sua própria configuração de marchas favoritas. Enquanto pedala, o biker poderá alternar entre os mapas já programadas ou voltar para o modo manual. O XTR Di2 oferece mudanças de marcha mais rápidas e precisas com menor esforço se comparado ao sistema mecânico tradicional.

Trocas de marcha potentes – O câmbio dianteiro Di2 é duas vezes mais potente que o câmbio atual M980, além de oferecer mudanças confiáveis, rápidas e suaves mesmo sob uma pedalada de carga mais intensa. As mudanças de marcha se tornam leves ao simples toque de um botão, não importando o tipo de terreno. O câmbio traseiro foi aprimorado com nova tecnologia Shadow RD+ para Di2.

Além do botão ligado/desligado, é possível ajustar a tensão da mola externamente com uma chave Allen. Os câmbios reagem imediatamente ao comando do biker e assumem um posicionamento preciso em todas as combinações possíveis, utilizando-se a função de auto ajuste do câmbio dianteiro. A fiação elétrica garante um desempenho estável e consistente.

Visual clean e sistema expansível – O cérebro do Sistema XTR Di2 é o seu display digital. Ele indica o nível de bateria, a posição da marcha, o modo de troca de marchas (manual ou sincronizado) e o modo da suspensão. Utilizando-se um botão no display, também é possível mudar o modo de troca de marchas para manual ou para o modo Synchronized Shifting mesmo durante a pedalada.

O display também funciona como uma porta para recarregar a bateria, como conexão da plataforma e software E-Tube (para configurações pessoais) e, também inclui três portas E-Tube. A fiação eletrônica é facilmente escondida dentro do quadro e pode ser integrada ao sistema de suspensão FOX, minimizando eventuais fiações visíveis no guidão da bike.

As baterias do XTR Di2 M9050 são equivalentes às usadas nos grupos de Estrada: a bateria externa SM-BTR1 e a bateria interna SM-BTR2.

 

 

 

.

COMPARTILHE

Comente